Doar: o que significa essa ação?

Amor ao próximo. Mudar o mundo. Fazer a diferença. São muitas as frase de efeito associadas ao ato das pessoas participarem em sua comunidade com doações, sejam elas de que tipo for. De serviços voluntários até doações de sangue, o ato de doar sugere caridade, bem comum, onde um indivíduo pensa no outro antes de si próprio.

 

Mas é isso mesmo que a doação significa? Vale a pena? A sociedade melhora com isso? Nós melhoramos com isso? O que a antroposofia diz sobre o assunto? Afinal de contas, o que inspira os seres humanos a praticarem atos de generosidade?

 

 

 

Ser generoso traz felicidade

 

Na tentativa de resolver esse paradoxo, alguns especialistas formularam a teoria de que doar ou presentear satisfaz o desejo de elevar a posição do indivíduo em um grupo. Outros sugeriram que o ato promove a cooperação tribal e a coesão - um elemento-chave na sobrevivência dos mamíferos. Outra explicação é que doamos apenas porque esperamos receber algo em troca.

 

Mas, um estudo publicado no começo deste mês (agosto/2017) sugere que a resposta pode ser muito mais simples: doar nos deixa feliz. Os cientistas realizaram um experimento em um laboratório em Zurique, na Suíça, com 50 pessoas que relataram seus próprios níveis de felicidade após atos de generosidade. Consistentemente, eles indicaram que doar era uma experiência de bem-estar. *

 

Acreditamos que faça toda diferença

 

Não é bobagem parar para refletir sobre o ato de doação. Pois é preciso remover muitos rótulos que hoje fazem dessa ação uma estampa do politicamente correto. Dentro de uma sociedade doente por satisfação pessoal, ser altruísta está na moda.  E é aí que corre o perigo de se querer fazer bonito ao invés de querer fazer o bem.

 

Fazer uma doação, seja em bens materiais ou atuando de forma voluntária, trata-se de uma ação inicial em busca de uma sociedade mais justa, mais igualitária. É o ponto de partida para tentar equilibrar algo que, por um motivo ou outro, deixou uma parte da nossa sociedade em desequilíbrio. E depois dessa ação, desse ponto de partida, muito ainda há por se fazer, tem muito trabalho envolvido, muita dedicação e, acredite, muito investimento pessoal.

 

Quando você doa, contribui com a transformação de pessoas, de famílias, de comunidades e do próprio planeta. E mais além, contribui diretamente com a sua transformação íntima, com a forma que você se posiciona no mundo e de como isso transformará a sua rotina pessoal. E aí é que está o desafio. O ponto onde você realmente fará diferença exige uma grande transformação pessoal; é o ponto onde você sabe que irá evoluir junto de seus pares e da sua comunidade, é quando você acolhe, no seu íntimo, a generosidade de forma anônima, sem realmente precisar - nem querer - nada em troca.

 

 

Porque fazer o bem sem ver a quem?

 

Do ponto de vista da antroposofia, doar é amor. E deve ser um ato totalmente livre de qualquer troca, pois trata-se de um processo de auto-desenvolvimento.

 

Em palestra proferida em 1912, transcrita no livro "Amor, poder e sabedoria"**, Rudolf Steiner explica que as únicas ações das quais nada teremos no futuro são aquelas feitas a partir de um verdadeiro, autêntico amor. E por isso os seres humanos, subconsciente, realizam com tão pouco prazer os atos de amor.

 

Segundo a reflexão proposta pela antroposofia, uma alma deverá já ter feito grandes progressos em sua evolução para sentir prazer em praticar atos de amor dos quais nada obterá. O impulso para isso não é forte na humanidade, mas a partir do auto-desenvolvimento as pessoas podem ganhar fortes impulsos para os atos de amor. O estudo diz ainda que do ponto de vista do nosso egoísmo, nada obtemos dos atos de amor; tanto mais, porém, obtém deles o mundo.

 

 

"O amor é para o mundo o que é o Sol para a vida exterior. Nenhuma alma poderia mais crescer se o amor fosse eliminado do mundo. O amor é o Sol moral do mundo. Não seria absurdo , para uma pessoa que tem prazer e interesse no crescimento das flores de um prado, desejar que o Sol desaparecesse do mundo? Transposto para o âmbito moral, isso que dizer: deve-se ter interesse de que um desenvolvimento sadio se imponha nas relações da humanidade. É uma atitude sábia semear tanto amor quanto possível na Terra. Não há nada mais sábio do que promover o amor na Terra."

Rudolf Steiner

 

 

Como doar, então?

 

Atualmente, a moeda mais valiosa em termos de doação não tem haver com sifras, mas sim com o tempo. Você sabia disso? Então, quando ouvir falar em doação não pense logo em doação de dinheiro.
 

Ter tempo e dedicação para se doar em prol de alguma causa, de forma totalmente voluntária, e ser atuante em sua comunidade é, entre todas as ações humanitárias, a mais rara e, também, a mais valiosa.

 

A doação é exercida de muitas formas (você poderá descobrir algumas delas logo abaixo) e muitas vezes transformar seu entorno é bastante simples.

 

O que você fizer pelo próximo já ajuda muito. Doar é a nossa forma de dizer: eu quero ver meu mundo melhor. E fazer disso uma realidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* Nota: Fonte G1

** Nota: Fonte: Biblioteca Online de Antroposofia. GA 143, palestra de 17/12/1912, “Amor, poder, sabedoria”, pp. 23-24. : VWS.

 

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Ser Waldorf, um relato de ex-alunos

30/03/2017

1/8
Please reload

Posts Recentes

15 Apr 2019

7 Apr 2019

28 Aug 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square

© 2020 por Escola de Educação Infantil Jardim Waldorf Flauta Mágica

Endereço: Rua Alexandre Herculano, 77 - Boqueirão - Santos/SP - Brasil

Telefones: +55 13 3222-4309 e 13 3040-4852 

Email: secretaria.flauta@gmail.com

  • Facebook - White Circle
federação_das_escolas_waldorf_do_brasil.